Sob presidência de Collor, CRE tem intensa agenda de trabalho em 2017

27 dezembro 2017
Comentários: 0
Categoria: Notícias
27 dezembro 2017, Comentários: 0

imagem_materia (2)

Sob a presidência do senador Fernando Collor de Mello (PTC/AL), a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal (CRE) teve uma intensa agenda de trabalho ao longo de todo o ano de 2017. Nesse período, foram realizadas 53 sessões, entre reuniões ordinárias e extraordinárias. Do total, 26 destinaram-se à realização de audiências públicas, com um total de 69 convidados, entre autoridades de diversos poderes e especialistas. Ao longo das atividades, foram apreciadas 158 proposições, assegurando ao Congresso Nacional fluidez em matérias que estavam há anos paradas nas comissões da Casa.

Nas discussões realizadas durante os Painéis do Ciclo de Debates intitulado “O Brasil e a Ordem Internacional: Estender Pontes ou Erguer Barreiras?”, de um total de 18, a presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, a deputada federal pelo estado de São Paulo, Bruna Furlan (PSDB), tem representado os deputados no Senado. Entre os 69 convidados que participaram dos debates nas sessões ordinárias e públicas, destaca-se, também, o papel dos internautas que sempre participaram das discussões interativas.

Dentre as audiências, o ministro de Estado da Defesa Raul Jungmann, bem como os comandantes das três Forças: Exército, Marinha e Aeronáutica foram recebidos pelos senadores na Comissão de Relações Exteriores, registrando ainda o comparecimento dos embaixadores Rubens Barbosa, Roberto Azêvedo, dos ex-ministros Celso Lafer, Marcílio Marques Moreira, Celso Amorim, entre outras autoridades e especialistas.

Entre as matérias apreciadas pela comissão neste ano destacam-se a Lei de Migração, o Acordo Aquífero Guarani, Brasil/Argentina (PDS nº 24/17), o Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos entre o Brasil e os Estados Unidos Mexicanos (PDS nº 29/17), de Cooperação e Facilitação de Investimentos entre o Brasil e a República do Chile (PDS nº 36/17), e a Convenção de Minamata sobre Mercúrio, adotada em Kumamoto, Japão (PDS 114/17).

A Comissão de Relações Exteriores do Senado também manteve uma intensa agenda diplomática com parceiros do Brasil no ano de 2017. O presidente da comissão viajou em missão oficial pelo colegiado ou pelo Senado para os Estados Unidos, Marrocos e Haiti, onde se reuniu com representes dos países, reforçando a posição do Brasil em criar pontes nas relações diplomáticas, além de construir uma agenda de interesse comum entre as nações amigas.

Dando continuidade à aproximação entre Parlamentos e para aprimorar as relações bilaterais entre os Países, a CRE reativou o Grupo Parlamentar Brasil / Argentina, com o qual já foram realizadas quatro reuniões, sendo instalado também o Grupo Parlamentar Brasil / Marrocos, com o qual foram duas reuniões.

No tocante à apreciação de indicação de embaixadores e autoridades, foram aprovados os nomes para as Embaixadas do Brasil nos seguintes países: Zimbábue, Eslovênia, Israel, Zâmbia, Emirados Árabes Unidos, Chile, Irlanda, Bangladesh, Belize, Trinidad e Tobago, Gana, México, para o cargo de Delegado Permanente do Brasil junto à Unesco, Armênia, Suriname, Congo, Quênia e Tailândia.

Outra ação que foi um marco deste ano, provocada pela CRE, foi a realização de Sessão Solene no Plenário do Senado Federal, comemorativa aos 25 anos da Conferência Mundial sobre Meio Ambiente, a Rio 92, em que pode se contar com a participação de autoridades e especialistas que, direta ou indiretamente, colaboraram na realização daquela importante Conferência. Collor foi homenageado pelo trabalho realizado, à época, em tratar o tema ambiental como prioridade na sua Presidência.

Diante dos números, Collor acredita que este resultado só foi possível graças ao empenho de cada senador titular ou suplente, bem como do empenho de todos os servidores. “Agradeço a todos os senadores, membros titulares e suplentes da Comissão, pela dedicação, empenho e efetiva participação em nossas reuniões, sem as quais nós não poderíamos ter atingido esse expressivo resultado dos trabalhos no ano de 2017″, expressou Collor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>