Collor alerta que tempo é escasso para garantir mundo habitável

20 março 2018
Comentários: 0
Categoria: Notícias
20 março 2018, Comentários: 0

201803201746_3ab99acb31

Com a autoridade de quem realizou a Rio 92 e trouxe cerca de 180 chefes de Estado ao Brasil, o senador Fernando Collor de Mello (PTC/AL) defendeu, em discurso na abertura do 8º Fórum Mundial da Água nesta terça-feira (20), o compartilhamento de benefícios, inovação, tecnologia e métodos eficientes que tragam à população mundial a tão sonhada “Justiça Climática”. Ele alertou que o tempo é escasso para realizar uma mudança e, portanto, é preciso agir agora para garantir um mundo habitável a todos. “Assim como a água, o tempo é escasso”, frisou o parlamentar.

Em seu discurso, Collor relatou que, conforme as Nações Unidas, há água suficiente para atender a todos, mas não dentro do atual modelo de má governança dos recursos disponíveis. Para o ex-presidente, o quadro atual mostra que um novo paradigma de uso precisa ser adotado, e com urgência. Ele ressaltou que, em nível global, um grave problema começa a se desenhar com potencial de alimentar conflitos entre estados que usufruem de bacias hidrográficas.

“Por isso, devemos compartilhar experiências do uso da água e o tratamento de seus efluentes de forma justa, pacífica e soberana, buscando a paz e a segurança. Assim, este é o momento em que a coragem precisa triunfar de modo racional, sem paixões. E temos de ter a bravura de propor novos caminhos. E aí, o caráter colaborativo e parceiro de nossa cultura deve prevalecer. Esta é uma oportunidade de traduzir palavras em diretrizes efetivas para garantir a sobrevivência da espécie humana”.

Legado da Rio 92

O senador destacou que a escalada humana no planeta trouxe inúmeros progressos, ao tempo que este caminho tem sido inexorável para a destruição do ser humano como espécie pela poluição. “O ar está cada vez mais poluído; a temperatura cada vez mais alta; o alimento cada vez mais artificial; e a água cada vez mais escassa. Afinal, não descobrimos o fogo para morrermos de sede”.

A preocupação de Collor com a convivência harmônica do ser humano com o mundo habitável não é de hoje. Como presidente da República, ele promoveu há 26 anos a Conferência Mundial do Meio Ambiente, a Rio 92, que superou todas as expectativas. Com a presença de cerca de 180 Chefes de Estado e de Governo, à oportunidade, foram assinadas as convenções internacionais sobre biodiversidade e mudança climática, a Declaração do Rio sobre o Meio Ambiente e a Agenda 21.

“Ali, o conceito de desenvolvimento sustentável ganhou projeção, passando a integrar a pauta de qualquer discussão econômica que se propusesse relevante, e a se incorporar em definitivo à agenda de todas as nações. Em 2012, voltamos a sediar uma grande conferência, a Rio+20, por mim proposta, quando se aprovou o importante princípio do não-retrocesso”, lembrou o ex-presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>